SALTO ALTO: UMA BREVE HISTÓRIA

Alguns resquícios de calçados com salto, datam de 1.000 a.C. Mas é na Idade Moderna que utilizou-se do salto alto para elevar a altura das mulheres. A dificuldade em fazer o salto como conhecemos hoje era devido aos seus materiais, por isso, eles eram sempre baixos e grossos, feitos com empilhamento de couro e posteriormente com madeira e cortiça.

Foi entre o  século XIX e XX que os calçados começaram a ganhar design, se assim podemos dizer, e era mais uma função dos sapateiros. 

Em 1855, Pinet criou um salto mais fino e reto.
Com a racionalização de várias matérias primas nos anos 30, Salvatore Ferragamo desenvolve a anabela em cortiça. Uma alternativa que passou a ser copiada.
Roger Vivier (que trabalhava com Dior), aperfeiçoa os saltos criados antes e desenvolve o famoso salto Stiletto.
Nos anos 70, plataformas ressurgem.
Nos anos 90, novos conceitos são criados e os calçados são valorizados como obras de arte. Tornando famosos muitos designers.


Salto stiletto

VOCÊ SABIA?
No período do Renascimento As sandálias com plataformas indicavam a posição social através das "chopinas", chegando a 40 cm. Houve casos de senhoras da corte, utilizarem 70 cm andando com apoio dos empregados. Quando as camadas mais baixas começaram a usar foram aos poucos sendo desprezadas pela elite.

chopinas

INSPIRAÇÃO
No processo de pesquisa, encontrei algumas coincidências de saltos. O que parece ser tão novo, às vezes não é. Olha só, que interessante estes formatos diferentes de salto e sua possível inspiração. :)
Salvatore Ferragamo em 1944                                     Melissa Karin Hashid


            

                  François Pinet em 1950                                             Antonio Bernardi 

     

             André Perugia 1937                                                                McQueen


Nenhum comentário:

Postar um comentário

@modaempreendedora