COMO NÃO REALIZAR SONHOS

Ano passado, Bel Pesce esteve na Paraíba para o Lançamento do seu terceiro livro A menina do vale 2. A palestra foi pautada em Como não realizar sonhos, e essa é uma lógica interessante pois o que acontece quando vamos a palestras motivacionais? Durante uma hora ouvimos a trajetória de sucesso das pessoas, saímos eufóricas pensando "vou investir na minha ideia, tem tudo para dar certo!"...
Mas o que acontece? Frustações, os erros, os fracassos e daí chega o desânimo.

O que devíamos ouvir é justamente a trajetória de erros, tentativas e decepções para encontrar a resposta para "O que ele fez de diferente?". 



A trajetória da Bel é de sucesso e surpreendente, é formada no MIT. Trabalhou na Microsoft, Google e Deutsche Bank, e, após concluir os estudos, se mudou para o Vale do Silício, na Califórnia, região conhecida por abrigar as sedes das maiores empresas de tecnologia do mundo. Foi lá que Bel trabalhou na Ooyala, participou da equipe inicial da startup Lemon Wallet - e escreveu seu primeiro livro. Voltou ao Brasil em 2013 e fundou a Faz Inova (indiquei neste post). Ganhou o prêmio Cartier pela proposta inovadora da empresa. Foi considerada uma das “100 pessoas mais influentes dos Brasil”, pela Revista Época, eleita um dos “30 jovens mais promissores do Brasil”, pela Revista Forbes, e entre "as sete jovens mais inovadoras do mundo" pela TIME! Tudo isso com apenas 26 anos! E depois de tantos sonhos concretizados, mais um e super audacioso, impactar a vida de 1 BILHÃO de pessoas através de seus livros, projetos, palestras e cursos sobre empreendedorismo, o #legadodabel .  

A história de sucesso nós já sabemos e para cada item que contava de como não realizar sonhos, 
dizia uma situação que aconteceu com ela. Inspirador!
Uma que me questionava era: "Como ela conseguiu cursar tantas disciplinas no MIT?" e tive a resposta. Obviamente, Bel é super inteligente mas algo que segundo ela ajudou foi entender o sistema de lá. No início, diziam que ela só podia cursar quatro disciplinas. Mas, isso era uma regra? Porque quatro? E ela descobriu que podia colocar outras disciplinas sim! Chegou a cursar 13 em um período mas não foi algo do dia para a noite, foi aumentando gradualmente, um período 5 outro 7... Além disso, não eram todas de Matemática, por exemplo, tinha carga horária menor em alguma delas e outras eram esportivas. Outro fato, é que muitos projetos são em grupos. 

Atualização: Essa postagem teve conteúdos editados após a repercussão e comprovações por Bel Pesce. Veja aqui

Vamos ao conteúdo da palestra.

Então, como não realizar sonhos?




*Acreditar no sucesso relâmpago;
Bel falou sobre a construção do "sucesso" (aliás, algo muito relativo), em valorizar e comemorar na trajetória e não apenas o objetivo final. Citou um comercial que a marcou muito, algumas crianças subiam a montanha e depois de muito esforço chegaram ao topo. Depois de comemorar por alguns instantes eles se olharam e disseram "vamos descer?". Isto implica dizer que as pequenas vitórias devem ser comemoradas e o como se consegue chegar ao objetivo também.

*Sonhos dos outros
Entender que ninguém sabe o que é melhor para você! Mercado favorável, influência de amigos, família... para isto falou de um único arrependimento, ter deixado de trabalhar na Pixar para tentar fazer um Mestrado (que acabou sendo trancado).


*Não definir regras antes
Segundo Bel, muitos conflitos surgem pelo fato das pessoas ignorarem problemas no início e não definirem regras que possam solucioná-los no futuro. Exemplificou com sociedades, onde a falta de comunicação prejudica o bom andamento dos negócios.

*Deixa que eu me viro sozinho
Ter medo de compartilhar ideias ou de ensinar, acreditando que poderá ser auto suficiente trava o crescimento. 

*Receio de delegar
Exemplificou contando sobre a Faz Inova onde para fazer o tour de divulgação do livro precisou dividir responsabilidades para a equipe. Ter medo que as pessoas errem é algo que trava o crescimento, naturalmente as pessoas irão errar mas disse que a tentativa deve ser estimulada e não punida. Falou sobre a cultura do erro, no Vale do Silício os erros são tolerados como ensinamentos para melhorias e aqui esse pensamento deve ser melhorado, ainda vemos os erros como sinônimo de fracasso. Uma frase que exemplifica bem isto é: "Quem nunca cometeu um erro, nunca tentou algo novo" Albert Einstein

*Se acomodar
Quando a empresa está crescendo e obtêm certo sucesso a tendência é querer relaxar, afinal o lucro virá de qualquer forma. Segundo Bel, é ai que mora o perigo pois é nessa fase que mais exige dedicação que as pessoas querem fazer menos.

Falou sobre o seu primeiro livro, A menina do vale, a versão online teve 1 milhão de downloads em três meses (você pode baixar aqui), ou seja, naturalmente a versão 2 também teria muitos downloads, sem esforços. E foi ai que decidiu investir mais e fazer o tour por todas as capitais e palestrar sobre o livro.

*Só reclamar
Os tributos são altos e a burocracia para se ter uma empresa é enorme mas muitas empresas conseguem crescer apesar disso. O fato é que se só reclamar não vai resolver...

*Se orgulhar do ganho fácil
"Tirei 10 na prova e nem estudei!" - na mesma linha de raciocínio do sucesso relâmpago o não estudar (exemplo) foi momentâneo mas o ganho a longo prazo só se dará se houver dedicação contínua.

*Produtividade #fail
Não priorizar o que é urgente/importante do não urgente/importante gerando desgaste e tirando o foco do que realmente importa para o objetivo final.

*Ouvir o coração
Tendemos a querer fazer aquilo que amamos e Bel é desse mesmo time. Porém, escolher fazer o que se gosta é totalmente diferente de só fazer o que se gosta. Fazer o que não é tão legal, faz parte daquilo que achamos super legal e isso deve ser levado em conta. Assim, evitamos nos enganar com números e métricas que não são importantes e aprendemos a ouvir conselhos que serão fundamentais para melhorar aquilo que queremos por não estarmos obcecados só na parte boa ;)

Um exemplo, no segmento de Moda é ao começar a estudar se iludir com o glamour das passarelas.

A coleção que é desfilada por 10 minutos teve muitos meses de dedicação (estudo, testes, corte, modelagem, costura, cálculo do preço, fotos, organização e planejamento da estrutura...).

*Culpar o outro
A facilidade de colocar a culpa no estagiário é cômoda mas e quem o contratou não tem responsabilidade? E a orientação foi dada? Tirar a responsabilidade da gente não nos torna ilesos dos problemas que surgirem



Para realizar o sonho é só fazer tudo ao contrário. Não é fácil, é um exercício diário.

Se chegou até aqui significa que gosta deste tipo de conteúdo, não é? Deixe sua opinião nos comentários e/ou compartilhe.


O conteúdo desse post pode ser visto de forma resumida em vídeo aqui.
E é um complemento de coisas que não citei.


Atualização: Essa postagem teve conteúdos editados após a repercussão e comprovações por Bel Pesce. Veja aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

@modaempreendedora